Início > Acelera Mente, Fale Conosco, motos > Garinni GR 250 T3 é custom chinesa que queria ser uma Harley-Davidson

Garinni GR 250 T3 é custom chinesa que queria ser uma Harley-Davidson

 Para quem é completamente alheio ao mundo das duas rodas, não seria impossível confundir a Garinni GR 250 T3 com a Harley-Davidson Heritage Classic. Guardando as devidas proporções, ambas apresentam características semelhantes: motor de dois cilindros em V, painel de instrumentos sob o tanque, para-brisa, faróis auxiliares, bolsas laterais, pedaleiras plataforma e encosto para o garupa. Fica evidente, é claro, que a custom da Garinni é uma cópia em miniatura da Harley. Mas qual é o problema? Hoje, a centenária marca norte americana é um ícone do setor justamente por investir todos suas fichas em modelos clássicos, que serão referência para os demais.
De origem chinesa, a custom da Garinni foi lançada ano passado e agrada por seu estilo retrô, por sua posição de pilotagem e conforto. Como é de praxe nas custom, o motociclista fica sentado e não montado. Os braços ficam esticados e os pés apoiados em plataformas. Além disso, a moto conta com bancos individuais e até um encosto (sissy bar) para o garupa, item que transmite maior conforto, principalmente em viagens.

MOTOR E CICLÍSTICA
A mini-custom da Garinni está equipada com motor OHC (comando simples no cabeçote) de dois cilindros em V, quatro tempos, refrigerado a ar e com 247 cm³ de capacidade cúbica. Apesar dos 24 cv a 8000 rpm de potência máxima e 1,60 kgfm a 6000 rpm de torque máximo, o propulsor não tem o mesmo desempenho e força que sua principal concorrente, a Kasinski Mirage 250 (30,9 cv e 2,25 kgfm). Ainda carburada, a GR 250 T3 tem um melhor comportamento na estrada, já que o motor gosta de trabalhar cheio, ou seja, em giros mais altos. Em baixas rotações, a moto da Garinni deixa um pouco a desejar, já que tem a força (torque) de uma moto de 150 cm³. Por isso, seu habitat natural é realmente rodar por rodovias bem pavimentadas em viagens curtas de final de semana. A velocidade de cruzeiro é de 100 km/h.

Garinni GR 250 T3

Motor OHC, 247 cm³, dois cilindros em “V”, quatro tempos, refrigerado a ar.
Potência 24,1 cv a 8000 rpm.
Torque 1,60 kgfm a 6000 rpm.
Alimentação Carburador; partida elétrica
Câmbio Cinco velocidades com transmissão por corrente.
Quadro Tubular com berço duplo em aço.
Suspensão Dianteira por garfo telescópico; traseira com duplo amortecedor, com regulagem na pré-carga da mola.
Freios Disco simples de 260 mm de diâmetro na dianteira; disco simples de 120 mm de diâmetro na traseira.
Pneus e rodas 110/90 – 16″(dianteira); 130/90 – 16″ (traseira).
Dimensões 2.160 mm (comprimento), 750 mm (largura), 1.100 mm (altura); 150 mm (distância do solo).
Peso 140 kg.
Tanque 12,9 litros.
Cor Preto/prata.

Na parte ciclística, a moto custom da Garinni tem suspensão macia e freios de acordo com as necessidades do piloto. Na dianteira, o tradicional garfo telescópico e freio de disco simples de 260 mm de diâmetro, acionado por pinça de pistão simples. Na traseira, sistema de amortecimento bichoque com regulagem na pré-carga da mola e disco de freio simples de 120 mm de diâmetro, também com pinça de pistão simples.
O teste com a Garinni GR 250 T3 foi feito em pista fechada, com uma moto zero-quilômetro. Desta forma o sistema de freio se mostrou pouco eficiente, porém temos que levar em consideração que as pastilhas ainda não tinham “casado” com os discos. Para auxiliar na segurança, equilíbrio e absorção de impactos, a mini-custom da Garinni está calçada com pneus Metzeler Perfect ME 77, com medidas 110/90 dianteira e 130/90 na traseira. Já as rodas, de aro 16 polegadas, são de liga leve.

SEGURANÇA E ESTILO
Para aumentar a segurança, a GR 250 T3 recebeu para-brisa, que protege o piloto da vento, da chuva e também de pequenos objetos; faróis auxiliares para um melhor visualização em uma viagem noturna, além de um protetor de motor (“mata-cachorro”).

Esbanjando estilo e muitos cromados, a moto da Garinni conta com painel de instrumentos sobre o tanque de combustível, que informa velocidade e conta com hodômetros parcial e total. Além disso, os comandos que ficam nos punhos e os manetes são cópias dos usados na linha Harley. A GR 250 T3 também apresenta algumas engenhocas: partida por controle remoto e alarme — itens completamente supérfluos em um uma moto desta categoria.

Em função de sua configuração, a Garinni é concorrente direta da Kasinski Mirage 250 (com preço promocional de R$ 13.400 até 31 de dezembro) e da Sundown V-Blade (R$ 13.629). O preço sugerido da GR 230 T3 é de R$ 13.500. Detalhe: de janeiro a novembro, a Garinni — empresa do Grupo Itapemirim — emplacou apenas 1.266 unidades, número que representa 0,09% do total do mercado. Para aumentar o volume de vendas, até o final de 2009 a marca quer chegar a 24 concessionárias em todo o BrasiL.

Por Portal UOL

Editado Fabio Weslley

Anúncios
  1. 19/08/2010 às 16:00

    Linda, linda, simplesmente linda. Vou adquirir uma em 2012, se DEUS quiser. Recife – PE ( 81 ) 8650.6469

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: