Archive

Archive for the ‘kasinski’ Category

MV Agusta F3 Serie Oro e F4 RR Corsa Corta serão vendidas no Brasil

Os grandes destaques da MV Agusta no Salão de Milão (ITA), EICMA 2011, foram a esportiva F3 e a naked Brutale 675, ambas equipadas com motores de três cilindros em linha com 675 cc de capacidade cúbica. Mas nos bastidores da maior feira de motocicletas do mundo a marca de Varese e a brasileira Dafra anunciaram que a F3 Serie Oro e a F4 RR Corsa Corta serão importadas com preços de R$ 170 mil e R$ 150 mil, respectivamente. Ou seja, peças de colecionadores.

A F3 Serie Oro é limitada a 200 unidades

“Inicialmente começaríamos as importações apenas da Serie Oro, já que tínhamos alguns clientes brasileiros nos procurando para adquirir a motocicleta. Mas, também recebemos pedidos de interessados na F4 RR Corsa Corta. Por isso, decidimos comercializar ambos os modelos”, explica Marcus Vinícius S. Santos, gerente da MV Agusta Brasil, dizendo que os  modelos chegam ao país em fevereiro de 2012 em edições limitadas.

Com edição limitada em 200 unidades, a esportiva F3 Serie Oro está equipada com motor três cilindros de 675cc de capacidade pública, além de peças em fibra de carbono, suspensão e amortecedor de direção Öhlins, pinças dianteiras em monobloco, pedaleiras do piloto ajustáveis, banco em couro e placa de identificação em ouro, constando o número de série da motocicleta. Além disso, o novo proprietário da F3 Serie Oro recebe um kit especial, que remete aos três pistões do motor que a equipa, contendo a chave e o certificado de autenticidade. Preço: R$ 170 mil.

O certificado do proprietário da F3 Serie Oro foi inspirado no motor tricilíndrico que a equipa

Já a versão da supersportiva F4, a RR Corsa Corta conta com propulsor de quatro cilindros em linha, 16 válvulas e 998 cm3 de capacidade cúbica, que gera 201 cv a 13.400 rpm potência máxima de. Com esse desempenho, a F4 RR Corsa Corta é uma das poucas motocicletas do mundo a contar com um motor de mais 200 cv. O preço sugerido será de R$ 150 mil

Por Fabio Marquiseli

Editado Acelera Mente

Materia UOL Motos 

Acessem http://www.seligaregiao.com.br 

 

Kasinski Comet 150 – 2011

A Kasinski fez a apresentação da nova Comet 150 2011, mais uma bela opção para o mercado de motos urbanas, durante a feira de motos em Porto Alegre.

A concessionária Autosul recebeu a novíssima Comet 150 2011, primeiramente apresentada no Salão Duas Rodas em São Paulo, para “pré-estreia” em feira de Porto Alegre, antes de seu lançamento oficial, o que deverá acontecer em junho deste ano.

 A moto vem para competir no disputado mercado das motos de até 150 cilindradas para uso urbano, com vários diferenciais.

O primeiro destaque da nova moto é o motor de 150 cilindradas, o mesmo que já é empregado na Mirage 150. Com tecnologia Piaggio-Zongshen, o motor da Kasinski Comet 150 2011 é monocilíndrico de 149,4 cm³ de cilindrada, com balanceador, que reduz a vibração e proporciona mais conforto na pilotagem. A potência máxima é de 13,4 cv a 8.000 rpm e torque máximo de 1,38 kgf.m a 6.000 rpm.

A moto ainda conta com farol dianteiro de grandes proporções, assemelhado ao da nova Fazer 250 da Yamaha, rodas de liga leve, freio a disco na roda dianteira, painel de instrumentos com display digital e protetor integral da corrente de transmissão.

Como no caso da Mirage 150, já disponível para venda, a nova Comet 150 2011 deverá oferecer todo este pacote de acessórios e, ainda assim, ser mais barata que os modelos atualmente líderes de mercado.

 

Por SobreMotos

Editado por Italo Luna

Kasinski Mirage 150 é feita para se rodar no trânsito urbano e aparecer

 Mirage 150 foi lançada pela Kasinski no último Salão Duas Rodas, realizado em outubro de 2009, no Anhembi (SP). A custom de baixa cilindrada é um dos primeiros produtos da marca com tecnologia da chinesa Zongshen. Completo, o modelo conta com partida elétrica, freio a disco na dianteira, rodas de liga leve e motor carburado de 149,4 cm³ de capacidade cúbica. A moto oferece bom nível de acabamento e preço bastante competitivo, R$ 5.390.
 Reprodução

A custom Kasinski Mirage 150, de baixa cilindrada, é completa e custa R$ 5.390

Para analisarmos um novo produto, temos de levar em consideração vários aspectos: proposta, custo-benefício, estilo, motorização, ciclística e conforto. Como é uma custom de baixa cilindrada, fica aparente sua proposta urbana, ou seja, de se transformar em uma alternativa de transporte ao trabalho, faculdade, clube ou até para dar um “rolé” no final de semana. O que deve ficar evidente é que a Mirage 150 não foi fabricada para ser uma motocicleta utilitária.

O modelo tem preço sugerido mais alto do que suas principais concorrentes, mas leva vantagem em termos de qualidade e itens oferecidos. Só para comparar, a Dafra Kansas 150 custa R$ 4.990 e a Suzuki Intruder 125 tem preço promocional de R$ 5.375, só que fabricada em 2008, modelo 2009. Uma particularidade: todas essas custom pequenas utilizam tecnologia chinesa.

CONFORTO E DESENHO
A máxima “ame ou odeie” é inerente a qualquer moto custom. A pequenina da Kasinski não foge à regra, já que muitos motociclistas não se sentem atraídos por seu estilo. Preferem uma legítima street ou uma trail. Por outro lado, a Mirage 150 é um modelo que se destaca na multidão largamente dominada pelas Honda CG Titan.

Ao subir na moto, gratas surpresas no que diz respeito à ergonomia e ao conforto. A posição de pilotagem é agradável em função do desenho do guidão e também do posicionamento das pedaleiras, mais a frente.

O banco em dois níveis, decorado com arrebites e aliado ao encosto para a garupa (sissy-bar) aumentam o nível de conforto do novo modelo da Kasinski. Outro diferencial é que a Mirage 150 já traz de série um suporte para a instalação de um bauleto. Para maior comodidade, a moto conta com descanso lateral e cavalete central.

No conjunto, além das rodas de liga leve e as peças cromadas, o que chama a atenção é o tanque de gasolina, com capacidade para 13 litros — o maior entre a concorrência e uma boa marca para uma custom urbana. Integrado ao compartimento há o mostrador de combustível, que foi infiltrado durante o teste na chuva e acabou embaçado. Outro detalhe que desagradou foi o posicionamento do miolo da ignição, sob a mesa e junto à coluna de direção, ao lado da buzina.

FICHA TÉCNICA
Kasinski Mirage 150

Motor Monocilíndrico, 149,4 cm³, OHC, quatro tempos, refrigerado a ar.
Potência 13,4 cv a 8.000 rpm.
Torque 1,38 kgfm a 6.000 rpm.
Alimentação Carburador PZ 27; partida elétrica e a pedal.
Câmbio Cinco marchas; embreagem com multidiscos banhados em óleo.
Quadro Tubular em aço.
Suspensão Dianteira telescópica, com 135 mm de curso; traseira bichoque ajustável, com 55 mm de curso.
Freios Dianteiro a disco simples de 240 mm de diâmetro; traseiro a tambor, com 135 mm de diâmetro.
Pneus e rodas Dianteiro 2.75/18, com roda de liga leve; traseiro 3.50/16, com roda de liga leve
Dimensões 2.160 mm x 1.100 mm x 80 mm (CxAxL); 1.400 mm (entre-eixos); 140 mm (altura mínima do solo).
Tanque 13 litros.

A moto conta ainda com escape com ponteira em alumínio e lampejador de farol alto. Já os piscas, muito “modernosos” para uma custom, destoam do conjunto.

MOTOR E CICLÍSTICA
Simples, o motor carburado da Kasinski Mirage 150 é um monocilíndrico de 149,4 cm³ de capacidade cúbica e com comando simples no cabeçote. Trabalhando redondo e de forma linear, o motor da mini-custom gera 13,4 cv a 8.000 rpm de potência máxima e 1,38 kgfm a 6.000 rpm de torque máximo. O propulsor tem um balanceiro para reduzir a vibração.

A Mirage não é um exemplo de desempenho, mas em função de sua proposta dá perfeitamente conta do recado. Porém, não pudemos julgar sua durabilidade e resistência, já que este é um teste de curta duração.

Na parte ciclística, receitas tradicionais, porém eficientes. Na dianteira, disco simples de 240 mm de diâmetro e garfo telescópico da marca Showa, com 135 mm de curso. Já na traseira, freio a tambor de 135 mm de diâmetro e suspensão bichoque, com 55 mm de curso e cinco posições de ajuste. Com esta configuração até que a Mirage 150 se saiu bem enfrentando a buraqueira das ruas de São Paulo.

Com piso seco, a moto é fácil de pilotar e oferece mudanças de direção precisas. Agora, com pista molhada a atenção deve ser redobrada. A unidade testada estava calçada com pneus chineses fabricados pela Cheng Chin que comprometeram a dirigibilidade. Em uma freada mais brusca sob chuva, a dianteira chegou a escorregar. O pneu dianteiro é muito parecido com o utilizado na CG 125 da década de 1970, com um desenho da banda de rodagem bastante ultrapassado.

Fica aqui uma sugestão para a Kasinski. Troque imediatamente os pneus da Mirage 150 por modelos produzidos no Brasil ou com desenhos mais modernos. Com certeza, novos pneus oferecerão melhor aderência, além de ajudarem na absorção dos impactos. E investir na segurança do consumidor nunca é demais

Por Portal UOL

Editado Por Fabio Weslley

Kasinski Mirage 250 é eleita a melhor compra da categoria

A Kasinski Mirage 250 é eleita pela segunda vez a melhor motocicleta modelo custom da categoria até 250 cm³ de cilindrada.

Em menos de três meses, dois dos principais veículos de comunicação do setor das Duas Rodas nacional elegeram a Kasinski Mirage 250 a melhor da categoria.

O modelo 2010 da Kasinski se destacou nos mais diversos quesitos. Na edição de janeiro da Revista 4Rodas Moto (Editora Abril), a Kasinski Mirage 250 foi eleita a melhor opção de compra em uma análise realizada entre os modelos custom de 151 a 300 cm³ de cilindrada disponíveis no mercado. A moto obteve as melhores notas dentro dos seguintes parâmetros:

  • Peças de reposição
  • Valor do seguro
  • Desvalorização
  • Número de concessionárias
  • Preço ao consumidor

A melhor custom até 300 cm³ de cilindrada

No mês de outubro de 2009, a Kasinski Mirage 250 passou por uma bateria de testes ao lado das mais diversas marcas disponíveis no mercado. Avaliada por dez dos principais jornalistas especializados em Duas Rodas do País, a Kasinski Mirage 250 conquistou o título de “melhor motocicleta custom até 300 cm³ de cilindrada” do Brasil.

Os itens avaliados foram:

  • Estilo
  • Motor
  • Suspensão
  • Conforto
  • Freio
  • Maneabilidade

Mirage 250: uma custom de alta tecnologia e eficiência

A versão 2010 da Kasinski Mirage 250 foi apresentada ao mercado no mês de agosto do ano passado. Em poucos meses destacou-se como uma das motocicletas que oferecem melhor custo-benefício da categoria. O modelo 2010 ganhou mais tecnologia com a incorporação da injeção eletrônica “closed loop”, que garante maior eficiência na queima do combustível e com isso um controle mais rígido de emissão de poluentes. Isto sem contar a significativa economia de combustível.

A Kasinski Mirage 250 ganhou em performance, tornando a moto ainda mais ágil, com respostas mais rápidas do motor. A perfeita distribuição do combustível reforça a suavidade do funcionamento da máquina como um todo.

O clássico motor em “V” de 2 cilindros confere superioridade ao modelo. O propulsor da Kasinski Mirage 250 é o conhecido V2 250 cc com quatro válvulas por cilindro, duplo comando no cabeçote, com uma das maiores potências específicas da categoria.

O novo modelo ganhou também acendimento automático dos faróis, lampejador e luz de emergência. O sistema elétrico foi redimensionado com bateria de 12 amperes.

Outras novidades em destaque ficam por conta do novo formato de guidão (maior robustez ao produto, além de conforto, leveza e melhor dirigibilidade ao pilotar), câmbio com engates mais precisos e macios, e nova suspensão dianteira mais longa. O visual, no melhor estilo estradeira, foi valorizado com a adoção de novos emblemas em 3D cromados, novos grafismos em duas cores (DUAL-TONE em tecnologia WATER DECALL), e exclusivo escape 2 em 1 em aço inoxidável anti-ferrugem, compondo um conjunto harmonioso e muito mais durável.

A Kasinski Mirage 250 também ganhou novas laterais com entradas de ar e novas pedaleiras posicionadas para permitir uma pilotagem mais “estradeira”.  A nova posição do tanque de combustível, agora mais alto, ampliou o porte da moto. Outras novidades são o novo farol de 55 watts e os novos piscas fumê.

O modelo 2010 da Kasinski Mirage 250 atende às exigências do Promot 3.

Disponível em três opções de cores: preta; preta e vermelha; preta e prata

Preço promocional*: R$ 13.400,00

Por Fabio Weslley

Kasinski confirma produção da Prima Electra Scooter elétrico terá fabricação iniciada em abril e custará R$ 5 390

Apresentado ao público no último Salão Duas Rodas, realizado no ano passado, a Prima Electra começará a ser produzida em terras nacionais no próximo mês. A confirmação do início de fabricação do primeiro scooter elétrico no Brasil ocorreu durante o Fórum Internacional de Sustentabilidade, nesta sexta-feira (26), em Manaus, AM.
“A primeira fábrica de scooter elétricos do Brasil será inaugurada no próximo mês. Coloraremos o veículo de energia limpa no mesmo preço de um veículo convencional”, disse o presidente da Kasinski, Claudio Rosa Junior. A fabricante deve iniciar a produção do scooter no próximo mês, ainda na antiga fábrica da empresa. Até o final do ano, a linha deve ser transferida à nova unidade da CR Zongshen, também em Manaus.
Como disse o presidente da Kasinski, mesmo sendo elétrico o veículo não será mais caro que um scooter comum, com um preço sugerido de R$ 5.390. Apesar de ser elétrico, de acordo com Claudio Rosa Junior, o Prima Electra terá desempenho superior a outros scooter do mercado. Com 2.000 watts de potência, o Prima tem velocidade máxima de 60 km/h.
Por Fabio Weslley

Comet GT 250 passa a custar R$ 11.700

A briga das 250/300 está ficando mais intensa com a entrada no páreo da Comet GT 250 com valor reduzido. Neste mês de março, a Kasinski preparou uma promoção especial baixando o valor de R$ 12.700 para R$ 11.700. Este preço especial é válido para as concessionárias participantes de todo o país.

A GT 250 EFI possui motor DOHC, 4 tempos, 2 cilindros em V e arrefecido a ar. Com 249 cm³, o propulsor é capaz de gerar 29,2 cv de potência a 10 500 RPM.

Por Fabio Weslley

Categorias:250cc, kasinski Tags:, , ,